quinta-feira, 15 de novembro de 2012

RECORDANDO

  Um Sonho que me faz Amar! 
Esperando meu primeiro e único filho   
OUTROS!   
Ainda  informe  te  aguardávamos
Em  meio  a uma  visita  primeira
Uma  casa  te  aguardava
Duas  pessoas  te  aguardavam
E  os  preparativos  eram  para  ti
Tendo como  excitante  a tua  chegada
E  Chegaste!  
  O sonho acorda a realidade 
As teorias não preenchem a pratica. 
Aprendendo a conviver a quebra do silêncio. 
As primeiras noites em claros.
 Até acostumados estávamos. 
Os anos passaram...  Crescestes, hoje falas
As nossas preocupações são outras.
    Já andas, não usas mais as nossas pernas.
Já pegas, as nossas mãos, não são as tuas.
Já ouves! 
Até te queixas quando o barulho te incomoda.  
Amanhã...  prefiro nem pensar 
   Não quero, nem posso avançar no tempo. 
 Queremos tempo para curtir teu crescimento.
Mas, por que tanta preocupação!
Afinal, são apenas 04 primaveras.  
Ainda  és o nosso  pequenino...
                           Para Rafael do coração  de seu pai.                
 Josinele Pontes (in memoriam)
           19 de janeiro de 1987    

 "Quero uma loirinha"
Joyce, minha filha
   Pequenina de olhinhos pretos,  
      com cabelos de cachos dourados 
          e sorriso angelical,                 
pele fofinha e branquinha,
toda redondinha.
Perninhas gordochinhas,
Sapeca,  muito sapequinha.
       Para sorrir e alegrar o meu desejo realizar.
UM SONHO QUE ME FAZ AMAR!  
           
PRINCESA
Nós  sempre  te  esperamos
Um  dia  eu  sonhei!
E  era  assim   mesmo  que  eu  te  via.
Você  assim, com  rosto  de  princesa
Olhar  terno   e  sorriso  angelical
Sabe, princesa!          
Tê-la  em  meus  braços, 
e sentir tuas delicadas mãozinhas 
Acariciando  meu  rosto
Foi  o  maior  tesouro, que  Deus  me 
 concedeu
Você  é  nossa  princesa, o  nosso  tesouro
O  fruto  de  um  amor  forte
A  prova  inconfundível
De  um  amor. Que  poeta  nenhum
Poderá  descrever.  
Nós   te  amamos  princesa!
de  quem  te amam  tanto  teus pais.
 Josinele  (in  memorian)
 Nal Pontes

Homenagem  a  Rafael  e  Joyce, 
 nossos  presentes  e  herança  de Deus.
JEITO DE AMAR!
Aqui estão algumas das coisas que um pai coruja registrou 
dos seus filhos quando bem  pequenos. 
Entre dois a quatro anos de idade. 
 O tempo para ele era muito importante o que tentou  
aproveitar ao máximo, o crescimento deles e todo o tempo 
que o bom Deus lhe proporcionou  ele gostava de estar com eles, 
brincar, beijá-los  e beijá-los muitos.
        Mas, aprove a Deus em sua soberania que os deixasse 
tão cedo aos 27 anos.  Ele  mesmo  escrevendo  disse:
“Talvez  eles  mesmos  venham ler e compreenderem o meu 
profundo carinho e  amor que tenho  por  eles”.
CRIANÇA  DIZ, CADA UMA!   
      Rafael e Joyce também! coisas que seu saudoso 
pai registrou.

 DOIS PAPAI!
-  Rafael   e  Joyce!  olhem  o  papai. (era  nal  mostrando  
o  retrato do pai  deles  na parede)  entrou  Rafael, que  estava perto do pai  e disse: - DOIS PAPAI!!  

TEM UM NENÊ AQUI!
A  pequena Joyce  nos  seus  03  aninhos  
acorda no meio  da  noite,  com  muita  dor  na  barriga,  enquanto sua  mãe  foi  preparar um  chá,  ela  disse: - “Mainha!  acho  que tem um  nenê aqui, na minha  barriga!”

     TÁ  SECO,  VOVÓ!
- “Vovó,  eu  vou  dormir:”  disse  Rafael. Sua  avó, preocupada  para  ele não  molhar  a  cama. Advertiu 
 “Vá fazer xixi, meu filho!”. Imediatamente  ele respondeu.
 “TÁ SECO, VOVÓ!”
                                                                           
  VEM  COMIGO!
-  O   pai  de  Rafael  estava  extremamente  ocupado e  Rafael  em  cima  dele  chamando-o  para  brincar.  
Não  havendo  nenhuma  saída  para ele  ir  brincar  sozinho, o pai retrucou  “Vai ver se o papai está lá fora”. 
Prontamente  ele  respondeu  –VEM  COMIGO!”

PAI,  CANSADO!
-  Rafael  tinha aproximadamente  2 aninhos  e  seu  pai o trazia  em  seus  braços  a  caminho  de  casa, sempre  queixoso  devido  o  excessivo  peso  de  Rafael.  
Andando  e  conversando  tentava  convencê-lo  a ir no chão,  argumentando que era bom ir andando e que  o pai  estava  cansado... imediatamente  ele disse: 
“ Ta certo papai, quando  chegar 
em  casa o Senhor me põe  no chão".
                                        
JOYCE, TU AMA TEU PAI?
         Joyce,  você  ama  teu  pai?  Perguntou  Rosinha,  uma  amiga  nossa  a  pequena  Joyce nos  seus dois aninhos.  Ao  que  ela  imediatamente  respondeu:
 - “Eu  não!  quem  ama  Painho é  Mainha!”

MULHER USA,VOVÓ!
A  pequena  Joyce  toda  vaidosa,  colocava
batom  nos lábios e  dirigindo  a  sua avó  disse:
 -  bota, batom,  vovó,  mulher  usa!”
                        
ISSO  É  PALAVRÃO
A  pequena Joyce,  fraga  seus  pais  aos  beijos  e  imediatamente  ela  exclama: “Eu  vi,  vocês  estão  namorando” - “não  pode  minha filha?”  
perguntou  sua  mãe. - “Não  pode!  isso  é  palavrão!”


DEPOIS  TU  TELEFONA
Um casal  de  amigos  nossos queria levar a pequena
  Joyce de 02 aninhos, para a sua casa, para passar uns dias,  como a mãe dela não estava presente o pai resolveu
  a  questão. Não  posso  deixá-la. 
  com a permissão  da  mãe  dela.  
 O que a deixou chorando muito.
 Quando a sua mãe chegou seu irmão Rafael foi logo dizendo:
 “mainha, Joyce queria ir para casa de Tiago para sempre.”
 Então  sua mãe perguntou:
Voce vai deixar Painho  e Mainha, 
chorando?
 a  pequena Imediatamente respondeu:
“Depois  tu  telefona!”
ISSO É PALAVRÃO.
A  pequena  Joyce,  fraga  seus  pais  aos  beijos
  e  imediatamente  ela  exclama:  
“Eu  vi,  vocês estão namorando” 
 - “não  pode  minha filha?” 
perguntou  sua  mãe.  
- “Não  pode! isso é palavrão!”

PAI  ESQUECIDO!
Em  sua tristeza nos seus 03 aninhos e meios, 
pois Deus havia levado seu pai para o céu. 
A pequena Joyce tristemente exclamou!
 “Painho é fogo, esqueceu de levar a caneta.”

MACARRÃO DE OURO
Joyce, estava concentrada. De repente ela disse: mainha!
         - No céu tem macarrão de ouro? -

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua marquinha aqui. Vou ficar muito feliz.
Você é importante prá mim. bjs